DIABOS, ANJOS CAÍDOS E A TEMPERATURA DO INFERNO

Segundo a doutrina cristã Jesus não foi criado: ele procede do Pai e é feito da mesma substância do Pai. Só em seguida foram criados os anjos.
O primeiro deles foi Satanael que significa “mensageiro de Deus”, os outros foram: Miguel, comandante das milícias celestes, Gabriel, Rafael e Uriel.
Após a sua queda, Satanael passou a ser chamado de Satã (ou Belial) que significa “guardião dos infernos”.
Logo depois Deus criou mais 6.000 anjos cuja função é castigar incessantemente Belial. Deus criou também 700 bilhões de anjos espalhados pelos Sete Céus. Enfim, foram criados mais quatro anjos para dominar os ventos; seus nomes são: Chairum, Oertha, Kekutha e Nautha.

angel
Basicamente, a angeologia dos Judeus deriva da religião astral dos Assírios e dos Babilônios onde todos os anjos, inclusive os maus, eram instrumentos de Deus e lhe obedeciam cegamente. A função de Satanael era tentar os homens para testar a fé deles. Sucessivamente, com o advento do conceito de Deus como bem absoluto, houve uma distinção radical entre anjos do bem e os demônios com a afirmação do dualismo maniqueísta entre um deus do bem (Javé) e um deus do mal (o Diabo).

O diabo (Belial) foi o “primeiro anjo” criado por Deus a partir de um punhado de fogo e antes de todos os outros anjos. Em seguida Deus criou Adão utilizando um punhado de terra misturada com água oriunda dos quatro rios do Paraíso. Sendo o primeiro homem feito a imagem de Deus, o anjo Miguel o adorou e pediu que Belial fizesse o mesmo. Mas ele, orgulhoso, recusou-se de adorar um ser vindo do barro. Miguel alertou que Deus iria ficar zangado se ele não adorasse Adão e Belial respondeu: “Deus não vai ficar irado comigo, senão irei levantar o meu trono e serei igual ele é“. Então Deus teve muita raiva e precipitou Belial na terra junto com seus 600 subalternos que lhe permaneceram fiéis.
Após ter dormido 40 anos, Belial acordou e perguntou a seu filho Sapsan como poderiam se vingar do ser humano por causa do qual foram punidos. Ele decidiu recolher o suor que saía de seu peito e do sovaco e o derramou na fonte de onde nasciam os quatro rios do Paraíso. Eva bebeu essa água e o desejo carnal tomou conta dela; foi assim que o diabo seduziu Eva. (Evangelho de Bartolomeu, 52:59).

 

eva.jpg
Quando Jesus morreu na cruz, as almas de Adão e as de todos os antigos profetas estavam presas dentro do Inferno no aguardo da realização da profecia segundo a qual um segundo Adão os teria libertado 5.500 anos após a criação do mundo. Seth, filho de Adão, explicou a profecia para eles e os patriarcas e os profetas ficaram alegres.
Enquanto isso, Satã alertava o Inferno de ficar pronto para receber a alma de Jesus e custodiá-la, mas com cuidado, pois Jesus havia cumprido muitos milagres. O Inferno respondeu:
Mas ele é realmente assim tão poderoso que pode fazer essas coisas apenas com o poder da palavra?
O Diabo disse: “Até esse ponto chegou o teu medo ao ouvir falar do nosso inimigo comum? Eu não o temo, ao contrário ajudei os Judeus e eles o crucificaram e lhe deram fel e vinagre como bebida. Por isso fique pronto a segurá-lo no teu poder, logo que ele chegar”.
O Inferno respondeu com essas palavras: “Uns dias atrás eu devorei um homem, cujo nome é Lázaro, mas pouco depois um dos viventes, com a força da palavra, o arrancou das minhas entranhas. Acredito que se trate da pessoa que tu falas. Se, portanto, nós o recebermos aqui, temo que iremos correr o risco de perder todos os outros. Por isso te suplico, em nome dos meus e dos teus poderes, não o traga aqui, pois temo que ele ressuscite todos os mortos.
Enquanto Satã e o Inferno debatiam esse assunto ouviu-se uma voz mais forte que o trovão que dizia: “Levantem suas portas, Príncipes, e elas fiquem levantadas, portas eternas, e entrará o Rei da glória”.

.
Imediatamente, as portas de bronze caíram quebradas junto com todos os ferrolhos, e todos os mortos que estavam presos foram soltos de suas correntes e todas as trevas foram iluminadas.
O Inferno gritou: “Pobres de nós! Fomos vencidos!
Então o Rei da glória, prendendo pela ponta da cabeça o grande sátrapa Satã, o entregou aos anjos dizendo: “Atem com correntes de ferro suas mãos, seus pés, o seu pescoço e a sua boca”. Depois o entregou ao Inferno com essas palavras: “Tome-o e segure-o bem, até a minha segunda vinda”.
O Inferno segurou Satã e lhe disse: “Qual necessidade tu tiveste de providenciar para que o Rei da glória fosse crucificado? Olhe ao teu redor e veja como aqui não sobrou algum morto; todos aqueles que tu havias ganho com a árvore do conhecimento, agora os perdeu por causa da cruz e, tentando acabar com o Rei da glória, acabou consigo mesmo. E como eu lhe recebi para custodiá-lo firmemente, tu vais aprender por experiência quantos males irei inventar contra de ti. Qual mal encontraste em Jesus para arquitetar a sua ruína? Como tiveste a ousadia de perpetrar esse delito?” (Evangelho de Nicodemus, V-XXI:VII-XXIII).

cristo.jpg
Quando o número dos justos estiver completo, então Satã, com sua grande raiva, será expulso da sua prisão e fará guerra contra os justos, e eles invocarão em voz alta o Senhor. E imediatamente o Senhor mandará um anjo de assoprar na sua trompa, e a voz do arcanjo será ouvida com a sua trompa do céu até o inferno. E o Senhor dominará desde o firmamento até as partes mais baixas da terra: que se um homem de trinta anos pegasse uma pedra e a deixasse cair, dificilmente ela alcançaria o fundo em três anos: tamanha é a profundidade do abismo de fogo no qual se encontram os pecadores.
E também Satã e todos os seus soldados serão encarcerados e jogados no lago de fogo. E o Filho de Deus caminhará com seus eleitos sobre o firmamento e terá prisioneiro o demônio, preso com fortes correntes. (Livro de João Evangelista, 12:15).

Isso é o que pode ser lido nos Evangelhos Apócrifos.

Agora, tratando-se de um lugar terrificante, seria interessante conhecer a temperatura do Inferno para saber se ele é tão quente assim como dizem.

Deixando de lado a Divina Comédia, que é uma obra puramente literária, o próprio Novo Testamento (palavra de Deus!) nos fornece uns indícios importantes quando diz que: “Mas, quanto aos tímidos, aos incrédulos, e aos abomináveis… a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre;” (Apocalipse 21,8).

Pois bem, a temperatura de um lago de enxofre derretido deve ser necessariamente maior que o ponto de fusão desse elemento (115,2° C), mas menor que o seu ponto de ebulição, que é exatamente 444,6° C. Se a temperatura do Inferno fosse maior, o lago iria logo ferver e evaporar.
Em conclusão, a temperatura do Inferno varia entre 115° e 444° C,  dependendo se, naquele dia, o Diabo estiver bem ou mal-humorado.

bosch-detail-of-hell
Por pura curiosidade, podemos também calcular a temperatura do Paraíso e conferir se o lugar é realmente ameno.
Mais uma vez a Bíblia nos fornece todos os dados necessários. Falando a respeito do Paraíso, o Profeta Isaías o descreve com essas palavras: “E a luz da lua será como a luz do sol, e a luz do sol sete vezes maior, como a luz de sete dias” (Isaías 30,26).

Então o Paraíso, além de receber da Lua tanta radiação quanta a Terra recebe do Sol, vai receber sete  vezes a radiação que o nosso planeta recebe diretamente do Sol. Consequentemente, o Paraíso, para alcançar um estado de equilíbrio termodinâmico, perde oito vezes mais calor, por irradiação, que a Terra e isso nos permite calcular a temperatura exata por meio da Lei de Stefan-Bolzmann pela radiação térmica a qual estabelece que a energia total radiada por unidade de área superficial de um corpo, na unidade de tempo, é diretamente proporcional à quarta potência da sua temperatura.
No nosso caso podemos escrever que:

formula

onde T é a temperatura da Terra (300° K) e P aquela do Paraíso.
Resolvendo a equação e transformando os graus Kelvin em graus centígrados, obtemos que P= 204° C.

Ou seja, o Paraíso pode ser até mais quente que o Inferno! Quem for lá, não esqueça de levar roupas leves…

Estas considerações, publicadas pela primeira vez em 1972 na revista científica Applied Optics, forneciam, para o Paraíso, uma temperatura de 525° C. A discrepância deve-se a uma diferente interpretação do versículo de Isaías que, no caso do artigo mencionado, considerou a luz do sol sendo sete x sete (49) vezes maior que a atual.

 

Bibliografia

I Vangeli Apocrifi. Giulio Einaudi Editore, Torino (1990)

Marcelo Alonso, Edward J. Finn. Fundamental University Physics. Addison Wesley (1967).

Anúncios

3 comentários

  1. Um exímio trabalho. Histórias apócrifas que sempre atraem-me para as leituras. A dualidade que encanta-me. Demônios e anjos. Inferno e Paraíso. E a tua maestria em nos partilhar um texto maravilhoso e muito bem escrito. Parabéns caríssimo. bjo

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s